Histórias quase perfeitas



Era eu a despir-te do que era pequeno,

Tu a puxares-me para um lado mais perto,
Onde se contam histórias que nos atam,
Ao silêncio dos lábios que nos mata.

Caminhar... por ventos remotos, sombras escuras
Silêncios unidos em histórias compridas
Corro portas e travessas, subindo escadas p'ró céu
Viajo bem p'ra perto do sol
Longe da lua...
Dispo-me de preocupações...
Atravesso um raio de luz
Um choro de criança...

Eras tu a falar p'ra esconder a saudade,
E eu a esconder-me do que não se dizia.

Sabe bem ter-te por perto
Sabe bem tudo tão certo
E o que de mais certo existe...
É minha boca na tua, que juro não me sai da cabeça...

música: Toranja - Quebramos os dois
publicado por FV às 23:47